top of page
Logo (Transparente).png

Pagar dívidas ou investir? O que vale mais a pena?

Pense na seguinte situação: uma pessoa que se enrola ao cuidar do próprio dinheiro e acaba acumulando algumas dívidas. Em um esforço para se reorganizar com as finanças, ela consegue poupar algum dinheiro. Então se pergunta se vale mais a pena pagar as dívidas de uma vez ou investir o dinheiro para obter rendimentos e depois quitar seus débitos.

Nessa situação, primeiro faça como os Lannisters da série Game of Thrones: sempre pague suas dívidas, sobretudo se os juros cobrados forem altos.

Não ter dívidas é o melhor investimento. Dificilmente você encontrará uma aplicação financeira segura e cujo rendimento seja maior que os juros da dívida que você tem.

Neste artigo trazemos um passo a passo para ajudar você a sair do vermelho e começar a investir. É uma trilha para a independência financeira. Basta um pouco de planejamento e disciplina.

1. Limpe seu nome e/ou renegocie dívidas

Antes de tudo, vamos tirar uma fotografia da sua situação. Você sabe se seu nome está sujo na praça? Quanto exatamente você está devendo? Para quem?

Após listar todas as suas dívidas, é hora de partir para as renegociações! Nada como uma boa conversa para chegar a um acordo de parcelamento de dívida.

2. Busque um empréstimo com juros mais baixos

Uma das opções para começar a se livrar de dívidas é, por incrível que pareça, pegando um empréstimo!

Pois é, apesar de parecer contraditório, existe uma clara lógica por trás dessa estratégia. Se você pesquisar bem diversas opções de bancos, financeiras e fintechs de financiamentos, pode encontrar alguma que te ofereça um empréstimo cobrando juros menores do que os juros da sua dívida atual. E isso é possível até mesmo para quem está negativado!

3. Planeje seu orçamento

O planejamento é a chave do sucesso e impedirá que sua dívida se torne uma bola de neve. Ao se planejar para tomar um empréstimo, é essencial que você faça o seu orçamento.

Você dá o pontapé inicial para montar seu orçamento com duas perguntas muito simples:

  • Quanto ganho?

  • Quanto gasto?

Tomar um empréstimo implica que todo mês você vai pagar uma parcela. É um gasto certo, fixo, não importa o que aconteça.

4. Comece a poupar!

Chegar até aqui significa que você já conseguiu organizar sua vida financeira e manter todos os gastos dentro da sua renda mensal. Parabéns!

Agora você pode focar em poupar dinheiro para você mesmo e não apenas para pagar dívidas e empréstimos.

Agora é a hora de se pagar! Criar o hábito de poupar nada mais é do que aprender a se pagar mensalmente.

5. Crie suas reservas financeiras

Com o hábito de poupar em suas mãos, você está a poucos passos de atingir a sua independência financeira. Para isso, o próximo passo é montar as suas reservas financeiras. Mas o que são essas reservas, afinal?

As reservas financeiras são o destino do seu dinheiro, ou seja, como você pretende usar o dinheiro que está poupando.

A primeira reserva que você irá montar é exatamente aquela que vai impedir que você caia nos problemas de dívidas dos itens anteriores. Ela é a reserva de emergência, ou como o pessoal aqui do Viva no Comando gosta de chamar, reserva para oportunidades.

Você vai poupar até que essa reserva alcance um valor entre três e seis salários. Isso vai servir como um colchão de segurança para você em momentos de aperto financeiro, por exemplo, caso você fique desempregado.

6. Curta sua independência financeira!

Com todas essas reservas prontas e o hábito de poupar regularmente enraizado, você alcançará a independência financeira. Ou seja: os rendimentos dos seus investimentos acumulados ao longo dos anos serão suficientes para te sustentar.

Se após ler este artigo você começar a tomar as atitudes corretas para que não tenha problemas financeiros e ainda consiga garantir um bom futuro para si mesmo, nossa missão foi cumprida!

Para saber mais clique no link e faça o download do nosso e-book gratuitamente.

bottom of page