top of page
Logo (Transparente).png

3 dicas do que não fazer na hora de pedir aumento

O tema de hoje aborda uma questão fundamental na rotina de quase todo mundo que trabalha em empresa que não a sua própria: o salário.

Mais do que um meio de sustento de vida, o salário acaba por servir como um importante indicador de desempenho sobre nossas qualificações profissionais e área de atuação. Por esse motivo, passado algum "tempo de casa" é sempre bom parar pra refletir se o valor que você recebe condiz com as suas expectativas, habilidades e o piso do mercado.

Caso encontre alguma incongruência em alguns dos itens anteriores e queira continuar na companhia onde está, é melhor aprender a negociar o salário. Sem tabus!

Por isso, numeramos 3 dicas simples do que não fazer na hora de pedir o seu aumento.

1. Escolher a hora errada de pedir: "estude" o comportamento de seu superior, se ele é mais calmo ou estourado, se ao menos deu sinais de estar gostando do seu trabalho. Reserve o horário menos atribulado da rotina de trabalho (ex: depois do almoço ou cafezinho da tarde), e uma época do ano em que nem você nem ele estejam envolvidos em projetos grandes e/ou estressantes. Jamais "pule" o seu superior direto para conversar com o diretor geral, por exemplo. Sair atropelando a hierarquia pode ser encarado como sinal de desrespeito ou afobação.

2. Evite fofocas: nada de ficar comentando sobre o desempenho e remuneração dos seus colegas, foque nas próprias qualidades e mostre resultados! Nunca use comparativo de salário dos colegas para pedir o seu. Caso os outros funcionários também estiverem com o salário congelado nos últimos 12 meses, vale fazer o pedido de forma coletiva para conquistar respaldo àquilo que está reivindicando.

3. O que não dizer: é comum que o funcionário vá pedir aumento alegando que precisa terminar de quitar a casa, o carro, a escola dos filhos etc. Mas acontece que vitimizar-se pelos problemas pessoais jamais pode servir como argumento para pedir aumento. O acréscimo de salário deve ser fruto direto da relação funcionário-empresa e dos seus méritos conquistados lá. Outro argumento furado é alegar que possui muito tempo de casa, afinal hoje em dia a questão da meritocracia beneficia aqueles que dão mais resultado, muito mais do que aquele que possui mais histórico na empresa. Tente ser direto ao ponto, ao invés de aproveitar uma conversa informal para chegar ao assunto, pule a parte do "como vai sua família, o time de futebol?" e afins. Evite utilizar telefone ou email e prefira ficar de frente com o superior em sua sala.

Para saber mais clique no link e faça o download do nosso e-book gratuitamente.

bottom of page